.posts recentes

. Chove. É dia de Natal

. Guevara

. Este é o tempo

. Labirinto ou não foi nada

. Alma Perdida

. Ainda ontem pensava que n...

. Saber viver é vender a al...

. Dactilografia

. Balada da Neve

. Livro de Horas

.arquivos

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

Quarta-feira, 4 de Julho de 2007

Os "Deuses" Também Choram

 

Choram desde o Dia em que os humanos os confrontaram

Tomando para si mesmos o controle das suas vidas

Por essa altura surge-lhes um poderoso aliado

Que expelido do Espaço

Aqui encontra terreno fértil às suas ambições.

 

Desprotegidos, depois de a seu lado lutarem

Hoje são pasto emocional de um "Deus" expelido

 

Os homens não amam mais os "Deuses"

Amam um homem

Que se intitula Deus.

 

"Demos" ambicionou tomar conta da Galáxia só p'ra ele

Fazer dela o seu domínio exclusivo

E, conseguiu

Conseguiu vencer

No pequeno globo antes protegido por seres da Essência Cósmica.

 

Choram os "Deuses" a sua derrota

Choram os "Deuses" os homens ambiciosos

Que se juntaram ao Pérfido Vingador

Choram os "Deuses" toda a Humanidade

Que esquecida

Rasteja na baba viscosa largada por toda a terra

De um "Deus" único

Vindo de longe

De muito longe...

 

Choram os "Deuses", a sua própria existência

Quando pela eternidade fora

Vão vivendo uma vida indesejada

Longe dos seus

Choram cada humano que com eles se cruza e diz que não entende

Que não os conhece

Que eles não são "deuses"

São homens...

 

Choram a diferença

A Indiferença

O desprezo e a arrogância

O desamor e a falta de entendimento

Numa terra que decidiram nos primórdios adoptar.

 

Porque se não foram embora

Acompanhando os seus irmãos

 

E...

Insistiram em ficar

Para lutar

Lutar na sombra

Sem Glória

Sem conforto

Sem Amor

Perderam até hoje

E, perderão sempre

Porque nunca se entregaram

Ou entregarão

Aos que aqui estão

E... choram

Choram sempre

O Desamor

A Mentira

E... a dor

 

Choram a grandeza da sua pequenez

E, da sua perda.

 

Saudade

 

Saudade de mais um tempo

De

Cada tempo que foi mais um tempo que passou.

 

A Casa ficou distante

Cada vez mais distante

 

Chora "deus" a tua incompreensão

Por tão grande piedade

Morres às mãos daqueles que vivem por ti verdades inacabadas

Incompletas...

 

Parem as lágrimas dos "deuses" menores

Que querem continuar a ser o que são

 

Nada!

Lazulli, da CasadeCristal.

 


publicado por Lara às 23:33

link do post | comentar | favorito
|

6 comentários:
De lazulli a 5 de Julho de 2007 às 10:27
Olá, Lara

Peço perdão pela minha demora, ao teu cantinho de Poesia. Mas, já tenho aqui estado. Faltavam-me palavras.

Mas não devo tardar mais agradecer-te a amabilidade e gentileza.

Algo me impede de ser mais expressiva, daí que quero dizer-te o que me surgiu na mente quando vi aqui o meu poema: Chamar-te de:

"menina coragem"

Não me perguntes porquê, porque não saberei responder.

Sobre o Poema que destacas, muito sinceramente, não sei se ele tem tanto valor assim ou merece tal destaque. Mas, aceito e respeito a tua decisão de aqui o colocares.

E, sabes?! Gostei de o ver. E a imagem é muito de acordo. O coraçãozito... mas também é... Sem Amor de verdade dentro de nós... nada vale coisa nenhuma.

Vou... voltar a ler o teu Poema.

É pena que só aqui tenhas um, teu. Mas, mesmo assim, quero interiorizá-lo primeiro. Senti-lo!

Até já!


Que o Sol te ilumine.


Obrigada
(lazulli)


De lazulli a 5 de Julho de 2007 às 10:35
De novo eu, Lara

Por vezes acontecem-me coisas...

Acredita que estava convencida de já aqui ter visto um poema de tua autoria.

Diz-me se eu consigo ver para além do que na realidade existe!

Por todos os deuses, eu vi!

Decifras-me o inigma?!

Gostaria muito de o ter comentado. Teria tido muito prazer, em fazê-lo. Fiquei triste....

Será que me enganei?!

bj
para ti

(lazulli)


De Lara a 16 de Julho de 2007 às 23:09
Olá

Em primeiro ligar, desculpa a demora, tenho estado fora...

Ainda bem que gostaste de ver o teu poema e da imagem que coloquei.

Realmente, não escrevi aqui nenhum poema, deves ter confundido com alfuma coisa, ás vezes acontece. Não acredito que escreva aqui algum poema, nunca tive muito jeito para isso, prefiro apreciar a poesia "dos outros". Além disso, o que me atrai num poema é aquilo que não entendemos de todo, aquele "quê"" de mistério, de sensação inexplicável. Se for eu a escrever saberei exactamente o que quero dizer com cada verso e o poema perde parte do seu interesse.

Bjs,
Lara.


De lazulli a 25 de Julho de 2007 às 10:20
Olá Lara

Acabei de ler o teu comentário. Também estou atrasada na resposta. Fica o meu agradecimento, mais uma vez.

Sobre o teu poema, que afinal não li, devo ter confundido "publicado por Lara" . Sou desatenta. Peço desculpa.

Tudo bem. Se um dia mudares de ideias estarei aqui para te ler.

Um Bom Verão Para ti, Galáctica!!!!!!!!!

bjs
lazulli


De Lara a 25 de Julho de 2007 às 18:29
Olá
Não tens que agradecer, o poema é muito bonito. Gostei muito mesmo.
Beijos,
Lara.


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.tags

. todas as tags

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds