.posts recentes

. Chove. É dia de Natal

. Guevara

. Este é o tempo

. Labirinto ou não foi nada

. Alma Perdida

. Ainda ontem pensava que n...

. Saber viver é vender a al...

. Dactilografia

. Balada da Neve

. Livro de Horas

.arquivos

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

Quinta-feira, 1 de Novembro de 2007

Labirinto ou não foi nada

Talvez houvesse uma flor
aberta na tua mão.
Podia ter sido amor,
e foi apenas traição.

É tão negro o labirinto
que vai dar à tua rua. . .
Ai de mim, que nem pressinto
a cor dos ombros da Lua!

Talvez houvesse a passagem
de uma estrela no teu rosto.
Era quase uma viagem:
foi apenas um desgosto.

É tão negro o labirinto
que vai dar à tua rua...
Só o fantasma do instinto
na cinza do céu flutua.

Tens agora a mão fechada;
no rosto, nenhum fulgor.
Não foi nada, não foi nada:
podia ter sido amor.

David Mourão Ferreira

 

 



publicado por Lara às 17:08

link do post | favorito

De Anónimo a 16 de Novembro de 2007 às 18:31
eu adoro poemas relacionados com amor e amizade. mtoxxxxxxxxxxxxxxxx beijos amor
AMO-TE


De Anónimo a 16 de Novembro de 2007 às 18:33
ÁMOR É NO NASCER DE UM OLHAR...

"Foi como começou o meu namoro..."


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.tags

. todas as tags

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds